Premium "As escolas ainda estão organizadas como as fábricas e hoje não basta saber ler e contar. É preciso ser crítico e criativo"

Uma das pioneiras da inovação pedagógica em Portugal, Maria Emília Brederode dos Santos, hoje presidente do Conselho Nacional de Educação, acredita que as medidas para tornar a escola mais flexível vão vingar, porque é a própria economia que as pede. Uma entrevista onde cabem também a juventude, o pós-25 de Abril e um projeto chamado Rua Sésamo.

O seu pai, Nuno Rodrigues dos Santos, foi opositor do Estado Novo, mais tarde deputado à Constituinte e à Assembleia da República. O seu marido, José Medeiros Ferreira, também foi político, desempenhou funções como ministro dos Negócios Estrangeiros. Com esta influência familiar, nunca a seduziu a hipótese de ser deputada ou integrar um governo?

Não sei se nunca me seduziu. Nunca me foi colocada, acho eu. A minha intervenção, antes do 25 de Abril, sim, foi política, mas depois foi sempre mais profissional, mais centrada na educação do que propriamente uma intervenção mais estritamente política. Embora aprecie muito esse mundo.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".