Premium O sucesso do cinema coreano passa por Portugal

A encerrar a Semana da Cultura Coreana, hoje, há três produções coreanas para ver na Culturgest, em Lisboa. Em dezembro, na Cinemateca, acontece a retrospetiva integral de um dos maiores nomes desta cinematografia: Hong Sang-soo.

Na história do cinema coreano, 2019 ficará como o ano em que, pela primeira vez, um realizador desta nacionalidade venceu a Palma de Ouro em Cannes. Com Parasitas, delirante e engenhoso retrato contemporâneo da luta de classes em Seul, Bong Joon Ho conseguiu a proeza que nem Hong Sang-soo (Noutro País) nem Park Chan-Wook (Oldboy - Velho Amigo) ou Lee Chang-dong (Poesia) conseguiram, apesar de serem eles os nomes mais conceituados e regulares desse certame, com outros prémios alcançados.

É um indicador forte de que esta cinematografia vai ganhando prestígio, mas sobretudo de que os seus autores vão firmando presença, nomeadamente no panorama europeu. Não por acaso, também neste ano vimos chegar às nossas salas Em Chamas, uma notável adaptação de um conto enigmático de Murakami, por um dos referidos ilustres cineastas, Lee Chang-dong, que se contou entre os títulos mais badalados de 2018, tido como a Palma de Ouro da crítica em Cannes. E a juntar-se ao próspero cenário, por estes dias - ainda com Parasitas em cartaz - há mais filmes coreanos para descobrir em Lisboa.

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG