Exclusivo Uigures na Turquia em risco de serem extraditados para a China

Pequim ratifica acordo de extradição com Ancara. Grupos de direitos da minoria uigure temem que o documento seja usado para enviar pessoas para campos de detenção.

Em 2009, na ressaca da violência étnica entre uigures e han e que se saldou em dezenas de mortos, o então primeiro-ministro da Turquia Recep Tayyip Erdogan classificou os incidentes de "genocídio". Dez anos depois, o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros turco declarou que "a política de assimilação das autoridades chinesas face aos turcos uigures é uma vergonha para a humanidade". Erdogan, agora presidente, e ontem como hoje sem papas na língua, ao visitar a China meses depois da declaração do porta-voz diplomático, não se referiu de forma crítica à questão uigure. Pelo contrário: segundo a agência noticiosa Xinhua, o líder turco terá afirmado que as várias etnias vivem alegremente na região autónoma de Xinjiang.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG