Premium Vox dá vitória sem maioria ao PSOE e derrota histórica ao PP

Socialistas vencem legislativas antecipadas com 123 deputados e a vice-presidente do partido, Carmen Calvo, avançou desde logo que o PSOE pretende governar sozinho, com pactos pontuais. Um dos cenários de coligação formal era Sánchez aliar-se à Unidas Podemos, aos catalães da ERC e aos bascos do PNV outro, mais difícil apesar de aritmeticamente mais fácil, ao Ciudadanos. Casado admite resultado mau e culpa fragmentação à direita - onde o Vox conseguiu 24 deputados - pela pior derrota do PP.

Javi estava na Calle Génova a vender bandeiras do Partido Popular por cinco euros. Durante uma hora não vendeu nem uma. "Em 2016 vendi todas", contou indignado à reportagem do El País, numa altura em que pouco menos de três dezenas de apoiantes populares esperavam por Pablo Casado, para ouvir o que tinha a dizer sobre aquele que foi o pior resultado da história do partido em eleições legislativas. Apurados 99,99% dos resultados, o PP surge com 16,70% dos votos e 66 deputados, ou seja, menos 71 do que os 137 que obteve em 2016.

"Descalabro, catástrofe, desastre total", diziam membros do setor moderado do PP, deixados de lado por Casado, que depois de suceder a Mariano Rajoy na liderança do PP, em 2018, o dirigiu mais para a direita numa tentativa de evitar trânsfugas para o Vox. Não conseguiu. "Perdemos o centro por culpa da viragem para a direita e por não atacarmos o Vox", afirmavam outros, enquanto esperavam por Casado. O ambiente na sede do PP era quase de cerimónia fúnebre, relatavam alguns jornalistas espanhóis, que acompanharam no terreno a noite eleitoral.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

Navegantes da fé

Este livro de D. Ximenes Belo intitulado Missionários Transmontanos em Timor-Leste aparece numa época que me tem parecido de outono ocidental, com decadência das estruturas legais organizadas para tornar efetiva a governança do globalismo em face da ocidentalização do globo que os portugueses iniciaram, abrindo a época que os historiadores chamaram de Descobertas e em que os chamados navegantes da fé legaram o imperativo do "mundo único", isto é, sem guerras, e da "terra casa comum dos homens", hoje com expressão na ONU.