Premium Nagorno-Karabakh. Uma fratura exposta no Cáucaso

Arménia e Azerbaijão não cedem posições sobre o enclave. Turquia ameaça intervir, mas é da Rússia que se espera capacidade para baixar a tensão.

O Nagorno-Karabakh é um enclave de facto da Arménia no Azerbaijão. Com 4.400 quilómetros quadrados, um pouco menos do que o Algarve, é uma fratura exposta no Cáucaso. A dimensão da querela foi descrita pelo jornalista polaco Ryszard Kapuscinski no livro O Império. "Para a Arménia, um aliado é quem acredita que o Nagorno-Karabakh é um problema. Os restantes são inimigos. Para o Azerbaijão, um aliado é quem acredita que o Nagorno-Karabakh não é um problema. Os restantes são inimigos."

Mais à frente, o repórter e escritor multipremiado, explica: "É inimaginável fazer o seguinte discurso em Baku ou Erevã: Oiçam. Há décadas (quem entre nós pode sequer recordar esses tempos?) um paxá turco e o selvagem Estaline atiraram para o nosso ninho caucasiano este terrível ovo de cuco, e desde então, durante o século inteiro, temos estado a atormentar-nos e a matar-nos uns aos outros, enquanto eles, nas suas sepulturas bafientas, estão a tagarelar tão alto que se pode ouvi-los", ao que essa pessoa terminaria o discurso apelando à reconciliação. No entanto, diz que esse "infeliz moralista e negociador" ficaria "privado da sua vida" antes de conseguir concluir o apelo.

Ler mais

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG