Premium Agressões no bairro da Jamaica. Novas suspeitas reabrem queixa contra os polícias

A defesa pediu a abertura de instrução e quer ver anulada a decisão do MP que acusou quatro moradores e um polícia. Há suspeitas de que o ferimento no agente possa ter sido causado por bastonada de um colega.

O juiz de instrução criminal (JIC) do tribunal do Seixal está a analisar o requerimento de abertura de instrução dos cinco moradores do bairro da Jamaica envolvidos nos incidentes violentos com a PSP, em janeiro de 2019. A família Coxi - os pais, Fernando e Julieta, com 64 e 52 anos, respetivamente, e os filhos, Hortêncio, 32, Flávio, 34, e Higina, de 25 - de origem angolana, todos residentes naquele bairro, contesta a decisão do Ministério Público (MP) que, em outubro passado, acusou três deles e um dos polícias.

Estes residentes tinham apresentado queixa contra a equipa de intervenção rápida que se deslocou ao bairro, por causa de um distúrbio entre duas mulheres, mas acabaram por ver arquivada essa denúncia. Com base em novos factos e suspeitas não investigados querem o processo reaberto e que nove agentes sejam julgados por crimes de ofensa à integridade física qualificada; um crime de falsificação de documento agravado; coautoria de sequestro agravado; e denúncia caluniosa.

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG