Exclusivo Um campeão, os árbitros, um supervisor e até um fisioterapeuta. Os portugueses do Open

O Estoril Open arranca neste sábado com João Sousa como protagonista. Há mais um Sousa no quadro principal, o Daniel que trata da saúde dos tenistas, o Carlos que controla o torneio e o outro Carlos que tal como Mariana sofreu a ira de Serena.

O Estoril Open 2019 tem a particularidade de ser quase 100% made in Portugal. Desde o supervisor ao fisioterapeuta, passando pelos árbitros e pelos tenistas, são meia dúzia (Gastão Elias e João Domingues podem juntar-se se passarem o qualifying) os profissionais do país que acolhe o torneio. É habitual a Associação de Tenistas Profissionais nomear ou designar profissionais de outras nacionalidades até para evitar facilitismos, mas desta vez são vários os portugueses que vão coincidir no Clube de Ténis do Estoril entre hoje e 5 de maio.

Para o diretor do torneio, João Zilhão, é "lisonjeador" ver tantos portugueses no único evento ATP de Portugal, pois "é sinal" de que a mão-de-obra lusa é boa e serve os pressupostos mundiais do ténis, seja na cabina, court, gabinete médico ou na cadeira do poder. Mas não é essencial ao sucesso do projeto: "Temos grandes profissionais em várias áreas do ténis e é bom tê-los no único evento ATP em Portugal, mas a nacionalidade não é o mais importante para o sucesso do torneio, não queremos ficar no nosso ninho. Mas ter um português a ganhar um torneio ATP em Portugal é mais do que se podia sonhar. Foi um sinal importante que até no court os portugueses conseguiam vencer."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG