Recorde: Benfica recebe proposta de 126 milhões por João Félix

Jovem avançado internacional português será a quarta transferência mais cara de sempre do futebol mundial. À frente do internacional português estão somente de Kylian Mbappé (PSG por 135 milhões); Philippe Coutinho, (Barcelona por 145 milhões) e Neymar (PSG por 222 milhões).

João Félix prepara-se para dizer adeus ao Benfica e assinar pelo Atlético Madrid. O clube da Luz confirma que recebeu uma proposta de 126 milhões de euros do clube espanhol pelo jogador, a qual "está a ser analisada". O valor da oferta supera o valor da cláusula de rescisão, que é de 120 milhões. "Mais se informa que o valor proposto acima da cláusula de rescisão contempla o custo financeiro indexado ao
pagamento a prestações previsto nesta proposta", pode ler-se no comunicado.

A confirmar-se é a maior venda do Benfica, a maior compra do Atlético, além de ser a maior transferência nacional. O jovem avançado português ultrapassa João Mário, que era o português mais valioso de sempre a sair de Portugal (40 milhões), e Cristiano Ronaldo, o português mais caro de sempre até agora no futebol, com a mudança do Real Madrid para a Juventus por 117 milhões no verão passado.

João Félix é ainda a quarta transferência mais cara de sempre do futebol mundial, depois de Kylian Mbappé (PSG por 135 milhões); Philippe Coutinho, (Barcelona por 145 milhões) e Neymar (PSG por 222 milhões). Há dois anos era avaliado em apenas dois milhões de euros pelo Transfermarkt, agora sai por 126 milhões!

Horas antes de o Benfica anunciar a chegada da proposta milionária, o jogador foi homenageado em Viseu, mas não falou aos jornalistas, enquanto o pai abordou a possível saída sem confirmar valores e clube destinatário.

No dia 17 depois do Atlético ter aceitado bater a cláusula de rescisão, João Félix interrompeu as férias em Ibiza para ir a Madrid ao encontro do seu empresário, Jorge Mendes, e negociar o seu contrato com os colchoneros. Chegado lá fez os habituais exames médicos, aceitou assinar por cinco anos a troco de seis milhões limpos por época, soube o DN.

Nesse mesmo dia o jornal Marca a anunciou a contratação iminente. "A chegada de João Félix ao Atlético Madrid é iminente. Nas próximas horas pode ser anunciada a aquisição da jovem estrela portuguesa pelos rojiblancos, que ganham desta forma a corrida a vários dos grandes clubes da Europa", pode ler-se no periódico espanhol..

Desde que acabou a temporada e Félix festejou a conquista do campeonato pelo Benfica e a Liga das Nações pela seleção nacional, que o benfiquista de apenas 19 anos estava nas bocas do mundo e nas páginas dos jornais pelo alegado interesse de Atlético Madrid, Manchester City e Real Madrid, principalmente. Mas o destino será mesmo o At. Madrid, clube que procurava um "novo Griezmann".

Dispensado pelo FC Porto e fã de Kaká

Nascido em Viseu, e iniciado no futebol na escola '"Os Pestinhas", João Félix chegou à Luz em 2015/16, depois de dispensado pelo... FC Porto. Na formação dos dragões, o talento invulgar já era reconhecido. Chegou mesmo a fazer parte do chamado Projeto Jogador de Elite (PJE), onde apenas os melhores jovens da formação portista entrariam. No entanto, o corpo franzino fez que com os portistas abrissem mão de um talento que se desenvolveu rapidamente no Seixal, a casa da formação benfiquista.

Ao longo das duas últimas temporadas, Félix foi galgando etapas de afirmação. Em setembro de 2016, ainda no primeiro ano de júnior, tornou-se o mais jovem jogador a atuar pela equipa B do Benfica, com 16 anos e dez meses, num jogo da II Liga em Freamunde. Nessa mesma época, cinco meses depois, em fevereiro, acrescentou outro recorde precoce: o futebolista mais novo de sempre a marcar na II Liga, aos 17 anos, três meses e cinco dias, num jogo frente ao Académico de Viseu.

Fã do brasileiro Kaká, o menino-prodígio foi vincando o seu talento raro em diferentes patamares. Na última época, por exemplo, fê-lo em quatro competições - II Liga, campeonato de juniores, Youth League e International Cup - dividindo-se entre a equipa B e a de juniores.

As notícias do interesse de grandes clubes europeus dispostos a pagarem muitos milhões mesmo antes de o jogador se estrear na equipa principal foram-se sucedendo. Mas o Benfica blindou-o com uma cláusula astronómica antes de o fazer subir ao plantel principal. Esta época fez 43 jogos, 20 golos, 11 assistências e acabou campeão nacional e internacional português, fazendo parte do grupo que conquistou a Liga das Nações.

Estreou-se pelo Benfica no Bessa

Tudo isto era impensável a 18 de agosto de 2018, quando João Félix debutou oficialmente pela equipa principal do Benfica, ao entrar aos 88 minutos para o lugar de Franco Cervi numa partida no Bessa diante do Boavista, numa fase em que as águias já venciam por 2-0. Na semana que se seguiu, não só se estreou no Estádio da Luz na reta final de um encontro com o PAOK para o playoff de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões como se estreou a marcar num dérbi, ao dar o empate ao Benfica na receção ao Sporting (1-1), na 3.º jornada do campeonato.

Com Rui Vitória ao leme dos encarnados, apenas por duas vezes foi titular no campeonato, ambas na Luz, diante de Desp. Aves e Moreirense. Também começou de início nas receções ao Paços de Ferreira e ao AEK, mas o primeiro jogo era para a fase de grupos da Taça da Liga e o segundo apenas para cumprir calendário na Liga dos Campeões, numa altura em que o Benfica já sabia que seria repescado para a Liga Europa.

No início de janeiro, quando o ribatejano deixou o comando técnico da equipa e Bruno Lage o substituiu, João Félix passou de habitual suplente utilizado a titular indiscutível. Em pouco mais de quatro meses apontou 17 golos, enquanto em período semelhante com Rui Vitória tinha faturado apenas três vezes. Voltou a marcar ao Sporting na vitória em Alvalade para o campeonato (4-2), e também fez o gosto ao pé na visita ao FC Porto no Dragão (1-2), que permitiu ao clube da Luz ascender ao 1.º lugar da I Liga. Mostrou capacidade para brilhar em grandes jogos, algo extensível às competições europeias, uma vez que fez um hat trick ao Eintracht Frankfurt na primeira mão dos quartos-de-final da Liga Europa.

O 17.º português no Atlético de Madrid

João Félix arrisca ser o 17.º português a vestir as cores colchoneras, depois de Mendonça (1958-1967), Paulo Futre (1987-1993), João Vieira Pinto (1990-1991), Hugo Leal (1999-2001), Dani (2001-2003), Maniche (2006-2009), Zé Castro (2006-2008), Costinha (2006-2007), Sílvio (2011-2013), Pizzi (2011-2012), Simão Sabrosa (2007-2011), Tiago Mendes (2010-2017), Rúben Micael (2011-2012), André Moreira (2014), Diogo Jota (2016-2018) e Gelson Martins (2018-2019).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG