Premium Luís passou cinco anos a recolher receitas para fixar a identidade gastronómica de Timor

Ainda que tenham conseguido a fé e a identidade nacional, 25 anos de ocupação indonésia bastaram para apagar a tradição culinária de Timor-Leste. O chef português Luís Simões anda desde 2014 a percorrer o país para recuperar a memória dos sabores da ilha. A emancipação cultural de uma nação explicada pela cozinha.

A conversa começa com o saboko. É um peixe, vai inteiro à fogueira embrulhado numa folha de bananeira, leva malaguetas, tamarindo e alho. Para acompanhamento faz-se puré de banana e coco, são frutos que aqui crescem por todo o lado. Se houver um prato nacional timorense, é este.

"Uma tradição que se perdeu durante os anos da ocupação indonésia e agora está a ser recuperada", diz Luís Simões. "Voltou a encontrar-se saboko um pouco por toda a ilha. Quando se recupera um prato, recupera-se toda uma tradição, e toda uma identidade."

Ler mais

Exclusivos