Exclusivo Discriminação de gays doadores. Ministério da Saúde pressionado

Bloco de Esquerda questiona governo sobre casos de discriminação com base na orientação sexual do doador de sangue. Apesar de escassez de sangue de tipo O negativo, autoridades têm recusado dádivas, sobretudo de homens.

Dádivas de sangue foram recusadas por causa da orientação sexual do doador, denunciou a ILGA Portugal, depois de várias queixas nas redes sociais. O Bloco de Esquerda, que também teve conhecimento que persistem estas "práticas discriminatórias nos serviços de recolha de sangue", questiona agora o Ministério da Saúde sobre que "medidas irá encetar para garantir que não existem discriminações".

Depois de, no dia 13 de março, as autoridades terem alertado para o facto de "as reservas de sangue do tipo zero negativo (conhecido por O negativo)" estarem "em baixa", com apelos do Instituto Português do Sangue e da Transplantação "à dádiva" desse tipo de sangue, surgiram relatos em redes sociais de pessoas que tinham sido impedidas de o fazerem por serem homossexuais, sobretudo homens.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG