Premium Regresso a Sintra, maravilha do mundo

No ano em que se celebra o 25.º aniversário da sua integração nas listas do Património UNESCO, eis um roteiro de um dia para revisitar os clássicos de um dos locais mais bonitos do país. Sintra está linda, como sempre, já com alguns turistas mas sem filas e até tem novos atrativos. Não admira que tenha sido considerada uma das 101 Maravilhas do Mundo.

Sábado, 08h30 da manhã, num comboio com ocupação que permite manter a distância social, a caminho de Sintra. É um regresso tão desejado quanto adiado, primeiro porque a proximidade de Lisboa, uma mera meia hora, a vai colocando na lista dos passeios que podem "ficar para o próximo fim de semana" e demoram a acontecer; depois porque a pandemia veio estragar o plano de associar a visita a uma das muitas iniciativas agendadas para comemorar os 25 anos como Património Mundial. Sintra deveria contar, neste ano, com mais de 200 eventos, que previsivelmente atrairiam uns três milhões de pessoas.

Estão já três estrangeiros na paragem do autocarro, a poucos metros da estação, que sobe para o Castelo dos Mouros e o Palácio da Pena. O austríaco trabalha em Portugal e decidiu conhecer o sítio Património Mundial afamado, o casal inglês veio visitar amigos e aceita tranquilamente a ideia da quarentena obrigatória quando regressar a casa. Há de juntar-se ao grupo mais uma vintena, inclusive uma família alemã com um bebé no carrinho. Os turistas estão de volta - e os tuk-tuks também, convidando para subidas ao topo da serra por cinco euros por pessoa, mais 1,10 euros do que o preço do autocarro, que tarda em chegar.

Ler mais

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG