Premium Direita junta-se ao PCP e abstém-se na votação da Lei de Programação Militar

PSD e CDS decidiram na quinta-feira abster-se na votação da lei que investe 4,7 mil milhões no reequipamento e na modernização das Forças Armadas até 2030.

O Parlamento aprova nesta sexta-feira, na generalidade, uma proposta de Lei de Programação Militar (LPM) que deixou à vista umas Forças Armadas pouco interessadas em encontrar soluções comuns e que, mesmo em valores simbólicos, reduzissem o valor final da fatura a pagar.

O diploma traduz um investimento de 4,7 mil milhões de euros na modernização das Forças Armadas ao longo de 12 anos e conta com o voto favorável do PS, o voto contra do BE e as abstenções do PSD, do CDS e do PCP - que, pela primeira vez desde que há memória, não chumba a proposta de LPM e foi o único partido a declarar a sua posição durante o debate parlamentar de quarta-feira.

Ler mais