Premium Quando Salazar foi ao cinema

A Cinemateca acaba de lançar A Revolução de Maio, de António Lopes Ribeiro, prosseguindo um valioso trabalho de edições em DVD. Este foi o filme cuja estreia obrigou Salazar a deitar-se tarde...

Começou com Mulheres da Beira e Os Lobos, de Rino Lupo, seguiu-se Lisboa, Crónica Anedótica, de José Leitão de Barros, e O Táxi nº 9297, de Reinaldo Ferreira (mais conhecido por Repórter X). Falamos do património do cinema português que a Cinemateca tem vindo a divulgar em notáveis edições DVD, munidas de preciosos materiais informativos que procuram contextualizar o melhor possível as obras em causa. Desta vez, chega-nos A Revolução de Maio (1937), o mais importante filme de propaganda do Estado Novo, realizado por António Lopes Ribeiro (1908-1995), e o que não falta é informação à volta deste curiosíssimo objeto do seu tempo.

O protagonista da história, César Valente (António Martínez), é um agitador "bolchevique" exilado que regressa a Portugal integrando uma conspiração cujo objetivo é derrubar o regime no dia 28 de Maio - quando teriam lugar as comemorações dos 10 anos da Revolução de 1926. Acontece que, nos dias que antecedem o plano, a sua convivência com a realidade portuguesa, a observação dos sinais de prosperidade, e o romance que nasce com uma casta enfermeira lisboeta, acabam não só por enfraquecer o espírito revolucionário deste homem mas também produzem uma mudança interior, convencendo-o de que está diante do melhor cenário político nacional...

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG