Premium Pais e irmãos na política. A família é uma bênção, ou um estigma?

O governo socialista tem uma invulgar concentração de familiares sentados à mesa do Conselho de Ministros. Pai e filha, marido e mulher. Ter laços de parentesco na política é natural ou um estigma?

"Conheço o PS desde miúdo. Fui criado no meio da política, é normal que tenha tido gosto em seguir esta área e as coisas foram seguindo naturalmente." Quem o diz é Francisco César, deputado socialista do parlamento regional dos Açores, filho do presidente do PS e líder parlamentar da bancada socialista, Carlos César.

O deputado regional encara as críticas aos laços familiares na política de forma tão natural como a existência desses laços. "Seria difícil ser de outro modo, se andamos no meio da política e quem conhecemos é desse meio...", diz e exemplifica: "Conheci a minha mulher na política, o meu pai conheceu a minha mãe na política." Se é uma bênção ou um anátema, ainda não conseguiu definir. "Prejudicado ou beneficiado? Não cheguei até agora a nenhuma conclusão", diz o vice-presidente da bancada socialista regional, que também é presidente de duas comissões parlamentares regionais, de Economia e Assuntos Parlamentares.

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG