Premium Um conflito com a URSS e uma finta de Soares: a moção de censura que derrubou um governo

O Parlamento discute uma moção de censura do CDS ao governo - a segunda do partido nesta legislatura. Depois, tudo ficará na mesma. Tem sido quase sempre assim na história da democracia.

Porque "gostávamos mesmo de eleições" e porque o governo está "esgotado" e "transformado numa verdadeira direção de campanha do PS", o CDS fará hoje à tarde discutir na Assembleia da República uma moção de censura ao executivo - a segunda que apresenta nesta legislatura (a primeira foi em outubro de 2017).

Já se sabe qual será o resultado da votação: o governo sobreviverá, pela conjugação dos votos contra a moção de PS, BE, PCP e PEV. Só os proponentes e o PSD votarão a favor. A moção será chumbada - e na verdade tem sido quase sempre assim desde que a Assembleia da República começou a funcionar nos termos em que hoje a conhecemos (1976). O DN foi ver a história das moções de censura em Portugal.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.