Premium Quem quer ser rainha tem de ser soldado

Elisabeth da Bélgica começou neste ano letivo os estudos na Escola Real Militar, Victoria da Suécia fê-lo antes e Leonor de Espanha também o deverá fazer. Isabel II foi a primeira. A Europa prepara-se para ser governada por rainhas e "conhecer os militares da sua geração" tem de fazer parte do currículo.

Elisabeth, herdeira ao trono dos belgas mas soldado sem direito a queimar etapas, apresentou-se no último dia de agosto, primeiro do novo ano letivo, no campo militar de Eisenborn para começar a PIM - phase d'nitiation militaire, isto é, a recruta - primeiro passo para quem quer frequentar a Escola Real Militar (ERM) da Bélgica. Dentro de quatro semanas, já com a boina azul, participará na abertura solene do ano académico da ERM - um desfile na Esplanada do Cinquentenário, em Bruxelas.

É a primeira mulher da família real da Bélgica a ingressar na Escola Real Militar e vai frequentar o curso de Ciências Sociais e Militares, em flamengo. É o mesmo curso que o pai frequentou quando, ele próprio, fazia a sua formação para um dia se tornar rei.

Ler mais

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG