Premium Fausta Speranza: "Não conheço mulheres que gostassem de ser padres"

A primeira mulher jornalista da secção de política internacional de L'Osservatore Romano esteve em Lisboa para falar sobre "Mulheres, Igreja, jornalismo - A comunicação como nova fronteira".

Fausta Speranza foi a primeira mulher a integrar a secção de política internacional do jornal do Vaticano, L'Osservatore Romano. Esteve em Lisboa, a convite da Universidade Católica e do Instituto Italiano de Cultura, para falar sobre "Mulheres, Igreja, jornalismo - A comunicação como nova fronteira".

No final da conferência, a jornalista falou ao DN sobre estes tempos em que as mulheres vão ganhando protagonismo na Igreja, numa altura em que o Sínodo da Amazónia antecipa a necessidade de repensar os ministérios das mulheres e em que a Europa política mergulha num caldo de xenofobia, nacionalismos e fake news, alimentado por uma extrema-direita que não tem pudor em atacar o próprio Papa Francisco.

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG