Premium Dino D'Santiago nas ruas onde tudo começou: Sou Quarteira

A cidade algarvia recebe mais uma edição do festival Sou Quarteira, iniciativa de um pequeno grupo de filhos da terra, entre eles Dino D'Santiago, que fez uma visita guiada pelas memórias afetivas da terra onde cresceu.

Quem passar pela zona velha de Quarteira vai reparar numas fotos em tamanho gigante, a preto e branco, com umas caras em grande plano. Trata-se da exposição Heróis de Quarteira, uma das iniciativas do movimento Sou Quarteira. As pessoas retratadas foram escolhidas mediante votação da geração que hoje andará entre os 30 e 40 anos, a mesma de Miguel Jacinto e Dino D'Santiago, os mentores do projeto, com quem nos encontramos no restaurante Cabana, do pai de Miguel, "na rua onde tudo começou".

Foi ali, num primeiro andar ao virar da esquina, que Dino pela primeira vez cantou, desafiado por Miguel, um dos pioneiros do movimento hip-hop que animou a cidade algarvia nos anos 90. Até então, Dino apenas cantava no coro da igreja, onde os pais eram catequistas. Ou melhor, no coro "e nos bares de karaoke de Vilamoura", como desvenda Miguel, "onde ia impressionar as miúdas inglesas" com os dotes vocais.

É verdade", confirma Dino, que brilhava especialmente quando cantava a versão de Killing Me Softly with His Song, dos americanos Fugees, coadjuvado, nas partes em rap, por Miguel, então conhecido por Don Mouska, e pelo amigo Emerson, cujo nome de guerra era A.S 2. Era ali, naquele primeiro andar hoje em obras, que ficava "a casa de poesia", como chamavam ao quarto de Miguel, "transformado em estúdio" pelo grupo de amigos. "Foi ali que gravei as minhas primeiras canções, produzidas pelo Miguel", revela Dino. Na parede em frente vê-se umas fotografias dos Heróis de Quarteira, a de António Menau, "um professor de judo que marcou gerações", também ele morador naquela rua. Tal como o foi o músico e fotógrafo Mike Ghost, o autor das imagens, entretanto também compiladas no livro Heróis, lançado durante o festival Sou Quarteira, que começou ontem e continua hoje, sábado, com as atuações de artistas como Allen Halloween, Branko, Eva Rap Diva, Jimmy P, Mayra Andrade, Mishlawi, Mundo Segundo & Sam The Kid ou Plutónio, entre outros.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Legionela

Maioria das vítimas quer "alguma justiça" e indemnização do Estado

Cinco anos depois do surto de legionela que matou 12 pessoas e infetou mais de 400, em Vila Franca de Xira, a maioria das vítimas reclama por indemnização. "Queremos que se faça alguma justiça, porque nunca será completa", defende a associação das vítimas, no dia em que começa a fase de instrução do processo, no tribunal de Loures, que contempla apenas 73 casos.