Premium Ex-bastonária dos Enfermeiros: "Tudo fica mais pobre se uma Ordem assume o papel dos direitos laborais"

Maria Augusta Sousa luta há 50 anos pela valorização e pelos direitos dos enfermeiros. Sindicalizou-se ainda no Antigo Regime, lutou pela criação da Ordem e foi eleita bastonária duas vezes. E diz que a forma de luta de hoje "é atípica e pode ser interminável. Não há clarificação dos limites".

Tem 72 anos acabadinhos de fazer, a 2 de fevereiro, e 50 de profissão. Tantos quantos os que tem de luta pela valorização da profissão de enfermagem e pelos direitos da classe. Maria Augusta Sousa entrou para o Hospital de São José aos 21 anos, em Lisboa, especializou-se em saúde mental e psiquiatria, mas trabalhou sempre na área da medicina.

Do São José passou para o Hospital dos Capuchos, mas sempre ligada aos Hospitais Civis de Lisboa. Começou a participar na luta pela defesa dos direitos ainda no Antigo Regime, quando se sindicalizou no Sindicato Corporativo, "onde o governo se sentava nas reuniões da direção", conta.

Ler mais