Premium Mariana superou a mãe e quer mais do que atletismo e medicina

Albertina Machado deixou de correr pouco antes de engravidar e ainda hoje é uma das figuras emblemáticas do atletismo português. Hoje, Mariana soma sucessos a correr entre a competição e o curso de Medicina. Ambiciosa, só quer mais tempo para a família, os amigos e a praia.

Mariana quase que fez a primeira corrida no ventre da mãe Albertina Machado, que se despediu das estradas (e pistas) em janeiro de 2000. "Foi o corta-mato de Oeiras e já estava grávida. [Pausa, e contas pelos dedos] Não, engravidei logo a seguir", conta a antiga campeã de meio-fundo do Sp. Braga. A progenitora encerrou uma longa carreira: começou no bracarense CD Patrimonense em 1979 e, após uma breve passagem pelo FC Porto (1981), só terminou aos 38 anos, após 18 épocas a correr com a camisola vermelha e branca. A 12 de novembro do ano 2000, nasceu a filha mais velha (a outra não seguiu a passada da mãe), que, 19 anos depois, já é uma das grandes figuras do atletismo português e internacional. Entre o curso de Medicina na Universidade do Minho (2.º ano) e as dez sessões de treino semanais (um dia, somadas todas as horas), a carga sobre os ombros e as pernas tem tendência para aumentar e Mariana sente a pressão. E lida o melhor que pode - e muito bem, olhando a títulos e progressão educativa. "Gosto mesmo é de praia. De ver o pôr do Sol. De correr na praia."

Não se veja nesta afirmação da jovem mulher Mariana Machado Carvalho uma atitude desfocada. É apenas uma rapariga que tem a vida toda medida em tempos, períodos e resultados, na academia e na competição, que muitas vezes gostava de ter mais tempo para se divertir. Aos 19 anos, parece uma afirmação saudável.

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG