Exclusivo O que leva um treinador a voltar ao clube onde já foi feliz? "É um título para o ego"

Zidane voltou ao Real Madrid nove meses depois de ter deixado o clube. Nesta época, também Leonardo Jardim já tinha voltado ao Mónaco. Manuel Cajuda, que também repetiu clubes na carreira, fala em "ato de sabedoria".

Já aconteceu praticamente com todos os grandes treinadores da história do futebol mundial, de Helenio Herrera (tanto no Inter como no Barcelona) a Rinus Michels (Ajax e Barcelona) ou José Mourinho (Chelsea), passando por Marcello Lippi (Juventus), Fabio Capello (Milan e Real Madrid), Jupp Heynckes (Bayern Munique), Van Gaal (Barcelona). Em Portugal também não faltam exemplos: Eriksson (Benfica), Pedroto (FC Porto), Artur Jorge (FC Porto)...

Voltar a um sítio onde se foi feliz é uma tentação grande também para treinadores de futebol, apesar dos avisos populares em sentido contrário. Mas há uns que surpreendem mais do que outros. Como o regresso, anunciado na segunda-feira, de Zidane ao Real Madrid, apenas nove meses depois de ter decidido deixar o clube com o qual tinha conseguido ganhar as últimas três Ligas dos Campeões consecutivas, num feito inédito na era moderna da prova (a partir de 1992).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG