Premium Limpeza diplomática: Estado processado por alegado despedimento abusivo

Negócios Estrangeiros justificam despedimento de empregada de limpeza que trabalhava há 25 anos na Embaixada de Portugal no Luxemburgo por esta ter recusado um novo contrato em exclusividade ao abrigo do PREVPAP.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) justifica o despedimento de funcionária da Embaixada de Portugal no Luxemburgo por esta ter recusado a sua integração no quadro de pessoal da representação diplomática ao abrigo do Programa de Regularização Extraordinária dos Vínculos Precários na Administração Pública (PREVPAP).

A Confederação de Sindicatos Independentes do Luxemburgo (na sigla original, OGBL) vai processar o Estado português - a embaixada, o MNE e a Secretaria de Estado das Comunidades - por causa do despedimento desta empregada que diz ser "abusivo".

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG