Premium Kyle Eastwood vem ao Misty Fest tocar as músicas que Hollywood tornou famosas

O filho de Clint Eastwood é um dos cabeças-de-cartaz do Misty Fest, onde vem apresentar o novo disco, Cinematic, composto por versões jazz de temas de bandas sonoras do cinema, Expresso da Meia-noite, Taxi Driver, Pantera Cor-de-Rosa, La La Land ou Skyfall.

Mais do que o apelido, a fisionomia não engana, dando a quem se cruza com Kyle Eastwood uma sensação de "aquela cara não me é estranha". E de facto não é, pois o contrabaixista americano é bastante parecido com o pai, o ator e realizador Clint Eastwood, que há décadas conhecemos do grande ecrã. Foi no entanto na música, mais em concreto no jazz, que Kyle encontrou a sua forma de expressão, também muito por influência dos pais, ambos amantes de música, cujos discos de gente como Miles Davis, Dave Brubeck ou Thelonious Monk devorou desde pequeno. Ainda tentou seguir os passos do pai, como aconteceu com a irmã Alison, igualmente realizadora, mas, após quatro anos a estudar Cinema, decidiu "perseguir o sonho" de ser músico.

Com 51 anos, já gravou nove discos em nome próprio desde 1998, o último dos quais, Cinematic, editado neste ano. Como o nome indica, é um álbum dedicado à sua "segunda maior paixão", o cinema, que inclui versões jazz de temas de algumas conhecidas bandas sonoras do cinema, da autoria de gente como Michel Legrand, Henry Mancini, Ennio Morricone, Lalo Schifrin ou John Williams - "todos os grandes", como lhes chama. O alinhamento inclui também uma peça sua, que compôs para Gran Torino, um filme realizado pelo pai. É este trabalho que o traz agora a Portugal, para quatro concertos em Coimbra, Espinho, Porto e Estoril, integrados na programação do Misty Fest.

Ler mais

Exclusivos