Médicos eram pagos a 25 euros à hora e enfermeiros a cinco, mesmo assim não receberam.
Premium

País

Empresa que contratava médicos para as prisões não pagou e desapareceu

O Estado adjudicou à Corevalue Healthcare Solutions, Lda. o recrutamento de médicos, enfermeiros, psicólogos e auxiliares para as prisões. A empresa recrutou, não pagou e está incontactável. Em Lisboa há mais de 30 profissionais nesta situação e 40 mil euros por pagar. A Direção dos Serviços Prisionais diz nada poder fazer.

A Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP) adjudicou à Corevalue Healthcare Solutions, Lda. a contratação de profissionais de saúde para o preenchimento de horas nas várias unidades prisionais no ano de 2018. A empresa contratou médicos, enfermeiros, psicólogos, nutricionistas, auxiliares de ação médica e outros, mas não pagou. A DGRSP diz que a responsabilidade é da empresa, à qual pagou à cabeça as horas contratualizadas.

O DN sabe que há ações individuais a correr em tribunal de profissionais que têm quantias avultadas a receber por prestação de serviços, há denúncias que foram feitas aos ministérios da Justiça e da Saúde, à Procuradoria-Geral da República, à Provedoria de Justiça, aos sindicatos e às ordens das classes.

Ler mais

Exclusivos