Exclusivo Pode Bruno de Carvalho ter uma segunda vida no Sporting?

Dias Ferreira acha difícil que volte a ser readmitido como sócio mesmo que seja absolvido no caso do ataque à Academia de Alcochete. Eduardo Barroso considera que pode ganhar uma nova alma e Caldeira Pires diz que não se devem misturar as coisas.

O ataque à Academia de Alcochete, a 15 de maio de 2018, precipitou a queda de Bruno de Carvalho da presidência do Sporting. A destituição como presidente, em Assembleia Geral, a 23 de junho do mesmo ano, teve como base outras motivações, mas no fundo foi este episódio negro da vida do clube que esteve na base da maior crise institucional dos leões e que provocou tudo o que veio a suceder-se, que culminou com a sua expulsão de sócio no ano passado.

Nesta quarta-feira, Bruno de Carvalho viu o Ministério Público (MP), nas alegações finais do julgamento, pedir a sua absolvição no caso em que está acusado da autoria moral do ataque à Academia de Alcochete. Para o MP, não ficou provado que "os comentários de Bruno de Carvalho tenham incitado à violência" e que da célebre "frase 'façam o que quiserem' não se conclui que tenha ligação ou tenha dado instruções [para invasão e agressões]".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG