Exclusivo "Não tinha obrigação de deixar a advocacia, mas deixei por uma questão de ética, de consciência"

Isabel Cabeçadas criou o Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo de Lisboa, viu-o crescer e ainda não o conseguiu deixar. Há 30 anos.

Isabel Mendes Cabeçadas nasceu em Lisboa e tirou Direito na Faculdade Clássica, mas exerceu advocacia por pouco tempo. Convidaram-na a criar o Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo de Lisboa e achou que não era compatível com a profissão, embora pudesse acumular. Mas não queria a mínima suspeita sobre a sua isenção. O centro é de competência genérica para a resolução de problemas que envolvam transações na Área Metropolitana de Lisboa no valor máximo de cinco mil euros. Era um projeto-piloto, uma experiência na resolução de conflitos extrajudiciais, com uma duração de dois anos e meio. Abriu a 20 de novembro de 1989 e mantém as portas abertas.

O que é que pensava fazer a nível profissional quando entrou para Direito na Universidade Clássica de Lisboa?

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG