Premium Deco nasceu antes do 25 de Abril e Guterres foi um dos fundadores

Marcelo Caetano era o primeiro-ministro e Portugal vivia uma ditadura, que demorou quatro meses a aprovar a criação de uma associações de consumidores. A 12 de fevereiro de 1974 era criada a Deco. Dois meses e meio depois, dá-se o 25 de Abril e com ele uma razia de saídas para a militância política. Mas ficaram os suficientes para continuar, entre os quais António Guterres.

Alberto Regueira, economista, é um dos 11 sócios fundadores, uma militância cívica que ainda hoje desenvolve, aos 81 anos. É também um dos fundadores da SEDES - Associação para o Desenvolvimento Económico e Social e, mais recentemente, do movimento CIDSENIOR, do qual é presidente. E é vice-presidente da Assembleia Geral da Deco.

Lembra-se dos primeiros tempos, das alegrias com a conquista da liberdade, mas também de que muitos trocaram os direitos do consumo pelos partidos, sindicatos, governo, organismos estatais, associações cívicas. A democracia estava em construção.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

O Banco de Portugal está preso a uma história que tem de reconhecer para mudar

Tem custado ao Banco de Portugal adaptar-se ao quadro institucional decorrente da criação do euro. A melhor prova disso é a fraca capacidade de intervir no ordenamento do sistema bancário nacional. As necessárias decisões acontecem quase sempre tarde, de forma pouco consistente e com escasso escrutínio público. Como se pode alterar esta situação, dentro dos limites impostos pelas regras da zona euro, em que os bancos centrais nacionais respondem sobretudo ao BCE? A resposta é difícil, mas ajuda compreender e reconhecer melhor o problema.