Premium "Escrevo sobre banqueiros que sabem a merda que fizeram"

O inspetor Jaime Ramos não aparece nos noticiários das televisões ou nas notícias de jornais, mas rivaliza literariamente com as figuras da polícia e da justiça que disputam o espaço mediático para explicar o crime à portuguesa.

Ao nono volume de investigações policiais, o mítico inspetor Jaime Ramos continua imbatível no desempenho das suas aventuras literárias de autoria de Francisco José Viegas. Sempre preocupado em também refletir a realidade nacional além do enredo policial, com acontecimentos verídicos ou aproximados da realidade que serão úteis à história, desta vez o escritor vai mais fundo e a presença da recente história de Portugal na narrativa é determinante para o desenvolvimento destas 400 páginas.

O inspetor Jaime Ramos já se tornou um clássico no quase inexistente género do policial português e Francisco José Viegas mantém-se o único escritor a fazer questão de manter um protagonista destes no ativo - mesmo que neste A Luz de Pequim lhe comece a fazer as malas na Judiciária -, conseguindo seduzir milhares de leitores que aguardam por cada novo título com alguma ansiedade.

Ler mais

Exclusivos