Premium Costa mantém pontes à esquerda... e direita escapa porque crise durou pouco

Consciente de que a campanha de Pedro Marques não descola, Costa dará o máximo de si ao lado do candidato do PS. Por ele a crise tinha durado mais um pouco. PSD e CDS passaram ao lado do seu eleitorado? E irão ser ou não penalizados por isso?

Finda a chamada "crise dos professores", António Costa vai voltar à campanha eleitoral para as eleições europeias, acompanhando o cabeça de lista do seu partido, Pedro Marques. O plano, segundo o DN apurou, é simples: o secretário-geral do PS só não estará onde não puder mesmo devido às suas obrigações como primeiro-ministro.

Ou, dito de outra forma: António Costa vai pôr a carne toda no assador, tentando ser o ás de trunfo que dará a vitória a uma candidatura que, por mais que a pista vá ficando cada vez mais curta, insiste em não descolar (as eleições estão marcadas para 26 de maio).

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.