Montenegro avança, Rio mantém incógnita

"Não é tabu nenhum." Sendo ou não, a verdade é que ninguém ainda sabe se Rui Rio tenciona ou não recandidatar-se à liderança do PSD. Luís Montenegro já anunciou que avança.

Com Luís Montenegro agora já candidato (de novo) à liderança do PSD, a grande incógnita do PSD centra-se em Rui Rio. Será ou não recandidato à liderança?

David Justino, vice-presidente do partido, disse quarta-feira, na TSF, que "não é óbvio" que o presidente do partido se recandidate. Mas também não excluiu que o faça - e na direção do PSD ninguém saberá se Rio já decidiu qualquer coisa (se é que decidiu).

Uma certeza, para David Justino: o presidente do PSD não tem demasiada pressa em esclarecer a dúvida. "Eu acho que o Dr. Rio - como já é reconhecido e característico da sua forma de atuar - não vai expressar-se quando existe este coro autêntico de apresentação de candidaturas, de críticas, de ataques." Até ao final desta semana? Na próxima? Não se sabe.

"O partido sairá com maior pujança política quanto maior for a clarificação".

Mesmo sem essa certeza, Luís Montenegro avançou. Entrevistado na SIC, disse que o resultado do PSD (27,9%) foi "um desastre", "o pior do partido em 36 anos". Se Rio também avançasse, Montenegro diz que até preferiria, a bem da "clarificação" interna. "O partido sairá com maior pujança política quanto maior for a clarificação."

Na entrevista, o antigo líder parlamentar de Passos Coelho disse que consigo na liderança o PSD abandonará a estratégia de ser sempre "subalterno" em relação ao PS, nomeadamente propondo permanentemente entendimentos entre os dois partidos para que se façam "reformas estruturais". "O PS há muitos anos que não quer reformas estruturais com o PSD."

Portanto, o que precisa de fazer é "oposição firme" aos socialistas. Ou, dito de outra forma: "O Dr. Rui Rio devia ter feito nos últimos dois anos o que fez nos últimos 15 dias."

Montenegro foi também questionado pelo facto de ser arguido no caso das viagens ao Euro 2016. Assegurando, com veemência, que não cometeu nenhum crime, disse que, qualquer que seja a evolução do caso, isso não lhe limitará o exercício dos seus direitos cívicos e políticos. Ou seja: continuará na política mesmo que passe de arguido a acusado.

CDS calendariza congresso

Montenegro avança mas Miguel Pinto Luz - vereador em Cascais, ex-presidente da distrital de Lisboa do PSD - também. E, para o caso de Rui Rio não avançar, há quem pressione o eurodeputado Paulo Rangel. Para já são estas as figuras de quem se fala.

Entretanto, no CDS, a calendarização do próximo congresso deverá avançar esta quinta-feira, numa reunião da comissão executiva do partido. O dia de ontem foi de silêncio. Sabe-se que Abel Matos Santos, do setor ultraconservador (e monteirista) do partido tenciona candidatar-se. Filipe Lobo d'Ávila (igualmente da oposição interna a Cristas) também já disse que avançará. João Almeida (da atual direção) pondera. E o mesmo faz o líder da JP, Francisco Rodrigues dos Santos (que no entanto falhou a sua eleição para deputado, sendo n.º 2 da lista do Porto).