Premium Pyongyang desliga o telefone a Seul. O que se passa na Coreia do Norte?

A poucos dias do segundo aniversário da primeira cimeira entre Donald Trump e Kim Jong-un, a Coreia do Norte anuncia o corte de comunicações com a Coreia do Sul por considerar que esta não fez o suficiente para travar a entrada de propaganda anti-Pyongyang no país.

Pela primeira vez desde 2018, quando foram reativadas as linhas de comunicação militares entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul, o telefonema diário de Seul ficou por atender em Pyongyang. O regime anunciou o corte de comunicações com o "inimigo", numa mensagem vista como uma tentativa de unir os norte-coreanos em tempos de crise económica provocada pelo coronavírus (oficialmente o país não tem casos), mas também como uma indireta aos EUA em vésperas do aniversário da primeira cimeira entre Donald Trump e Kim Jong-un.

Oficialmente, a decisão da Coreia do Norte prende-se com a incapacidade do Sul para travar o envio de balões carregados de panfletos com propaganda anti-Pyongyang para o outro lado da fronteira. Estes panfletos, que criticam a ambição nuclear de Kim Jong-un ou denunciam as violações de direitos humanos no país, são obra de ativistas sul-coreanos ou desertores norte-coreanos.

Ler mais

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG