Premium Morte de Luís Giovani. "Chegámos dez dias atrasados ao caso", diz Polícia Judiciária

A PJ está ser "bombardeada" com mensagens a exigir resultados no caso da morte do estudante cabo-verdiano, apesar de só ter iniciado a investigação após a morte, a 31 de dezembro. Já a PSP, que teria o caso antes, nem foi ao bar onde tudo alegadamente começou. Mas garante que não houve queixas de outras agressões naquela noite em Bragança.

"Venho por este meio mostrar a minha indignação (...). Espero que não seja mais um daqueles casos em que a impunidade prevalece."

As frases citadas dão um exemplo das mensagens que a Polícia Judiciária está a receber nos últimos dias. Dizem respeito ao caso do estudante cabo-verdiano Luís Giovani dos Santos Rodrigues, de 21 anos, que morreu a 31 de dezembro, após dez dias em coma na sequência de uma pancada na cabeça.

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG