Coliseu transforma-se em casa de fados para os oito concertos de Madonna

Domingo, dia 12, começa a série de oito concertos de Madonna no Coliseu, em Lisboa, onde vai dar início à digressão europeia de Madame X. Terão lugar em pequenas salas, sempre olhos nos olhos com o público. E há Gaspar Varela e as batucadeiras de Cabo Verde, em casa...

Estranha, louca e genial foram alguns dos adjetivos utilizados para descrever Madonna no novo espetáculo da digressão Madame X, baseado no último disco com o mesmo nome, que a rainha da pop apresenta já a partir de dia 12, no Coliseu dos Recreios, em Lisboa, num total de oito concertos.

O cenário vai evocar uma tradicional casa de fados lisboeta e o espetáculo está dividido em quatro atos, que percorrem toda a carreira da rainha da pop, alternando êxitos antigos como Express Yourself, Papa Don't Preach, La Isla Bonita ou Like a Prayer com temas mais recentes, em especial os do último disco Madame X.

É precisamente no terceiro ato que os convidados lisboetas de Madonna são chamados a brilhar. As primeiras a subir ao palco são as batucadeiras de Cabo Verde, para interpretar com a estrela americana o novo tema Batuka, sendo depois a vez de Gaspar Varela a acompanhar à guitarra portuguesa, enquanto ela interpreta uma versão do Fado Pechincha, o clássico imortalizado pela bisavó do jovem músico de 16 anos, a falecida fadista Celeste Rodrigues, de quem Madonna se tornou amiga aquando da mudança para Lisboa. Pelo meio e se tudo correr como nalguns dos espetáculos americanos, poderá também ser homenageada outra diva da música lusófona, a cabo-verdiana Cesária Évora, ao som do hino Sodade.

Quanto ao resto, é Madonna tal como a conhecemos, uma artista completa, que aos 61 anos se mantém tão "estranha, louca e genial" como sempre o foi, especialmente ao vivo.

Será a quarta vez que a cantora americana se apresenta em Portugal, depois de dois primeiros concertos em 2004, no Pavilhão Atlântico, outro no Parque da Belavista, também em Lisboa, em 2008, e ainda mais um no Estádio Cidade de Coimbra, em 2012, mas este será um momento especial, não só para os fãs mas também para a própria Madonna, que vai atuar literalmente em casa, na cidade para a qual se mudou há três anos, quando o filho começou a jogar nas camadas jovens do Benfica.

Por cá também se apaixonou por ritmos como a morna, o samba ou o fado, tão em destaque no último disco Madame X e também neste espetáculo, que conta em palco com uma vasta embaixada lusófona: além do jovem prodígio da guitarra portuguesa Gaspar Varela e da Orquestra de Batucadeiras de Cabo Verde, ambos com momentos de protagonismo no espetáculo, Madonna faz-se ainda acompanhar da trompetista portuguesa Jéssica Pina, do músico cabo-verdiano Miroca Paris (antigo colaborador de Cesária Évora), do percussionista português Carlos Mil-Homens e do também percussionista angolano Iuri Oliveira.

Outra particularidade tem que ver com o facto de, pela primeira vez em muitos anos, Madonna estar a apostar em pequenas salas e não nas grandes arenas ou nos estádios, como lhe era habitual. Tal como aconteceu no final do ano passado nos Estados Unidos, também a digressão europeia será olhos nos olhos com o público e como tal também por cá não devem ser permitidos os telemóveis durante o espetáculo, tal como aconteceu nos concertos americanos. Além dos oito espetáculos de Lisboa, que começaram por ser só três e esgotaram em meia hora, apenas mais duas cidades europeias vão receber a tour Madame X: Londres, com 15 espetáculos no Palladium, e Paris, com mais 12 concertos no Grand Rex.

Madonna

Coliseu dos Recreios, Lisboa.

Datas: 12, 14, 16, 18, 19, 21, 22 e 23 de janeiro

20.00. €75 a €400

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG