Premium Covid-19 deixou mais de 45 mil pessoas à espera de juntas médicas

A obtenção de apoio social e fiscal por incapacidade tem de ser validada por uma junta médica. Os benefícios aumentaram nos últimos anos, os pedidos dispararam, e os médicos de saúde pública são poucos para tantas funções. O atraso nas respostas vai dos seis meses aos dois anos. A pandemia agravou a situação. O governo teve de suspender a emissão de atestados, que só agora está a ser retomada. "Os médicos vão ter de trabalhar sete dias por semana, oito horas cada por muitos meses para recuperar o que está para trás."

Um doente oncológico tem direito a benefícios sociais e fiscais. Uma pessoa com mobilidade reduzida também tem direito a este tipo de benefício, nem que seja só para a compra de carro e acesso a dístico de estacionamento. Um doente que desenvolva doenças degenerativas, como demências, tem direito a apoio. Uma mulher que tenha ficado com uma lesão na bexiga provocada pelo parto também pode ter apoios.

A questão é que todos necessitam de um atestado multiusos validado por uma junta médica que comprove o grau da sua incapacidade. E, independentemente da decisão final, da justiça ou não dos critérios, todos têm de passar pelo mesmo processo burocrático, pelo mesmo tempo de espera, que vai dos seis meses até aos dois anos, dependendo este apenas da região em que reside.

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG