Premium Ferreira do Alentejo procura casas fechadas para instalar famílias luso-venezuelanas

Autarquia e empresas da região procuram fixar lusodescendentes para aumentar população e responder à falta de mão-de-obra no setor agrícola.

Técnicos da Câmara de Ferreira do Alentejo estão a percorrer todas as ruas do concelho para procederem ao levantamento de casas abandonadas e desocupadas. A autarquia quer colocar os imóveis no mercado de arrendamento ou venda para, assim, convencer famílias portuguesas regressadas da Venezuela a instalarem-se no concelho, com a possibilidade de serem recrutadas para trabalharem nas empresas da região.

Serão centenas - de acordo com estimativa do presidente, Luís Pita Ameixa - as casas envolvidas neste projeto, que começou a ganhar forma com a chegada dos primeiros 40 luso-venezuelanos à Herdade do Vale da Rosa. Trabalhadores que o proprietário da "casa", António Silvestre Ferreira, foi buscar à Madeira. Mas é preciso mais mão-de-obra num concelho que perdeu metade da população nos últimos 50 anos. Tem hoje pouco mais de oito mil habitantes.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Legalização do lobbying

No dia 7 de junho foi aprovada, na Assembleia da República, a legalização do lobbying. Esta regulamentação possibilitará a participação dos cidadãos e das empresas nos processos de formação das decisões públicas, algo fundamental num Estado de direito democrático. Além dos efeitos práticos que terá o controlo desta atividade, a aprovação desta lei traz uma mensagem muito importante para a sociedade: a de que também a classe política está empenhada em aumentar a transparência e em restaurar a confiança dos cidadãos no poder político.