Globos de Ouro: Queen, rainha Glenn Close e império Netflix

Os prémios não tiveram quase comentário político. A vitória contundente foi de Bohemian Rhapsody. Glenn Close, Olivia Colman, Christian Bale e Rami Malek são os atores do ano para a imprensa estrangeira em Hollywood.

Os Globos de Ouro a atiçar a temporada dos prémios e a baralhar a temporada dos prémios. Quando se pensava que Assim Nasce Uma Estrela, de Bradley Cooper, pudesse ser o grande vencedor da grande cerimónia de prémios antes dos Óscares, eis que a noite produziu surpresas em catadupa.

"Isto foi verdadeiramente inesperado", foi uma frase de Graham King, produtor de Bohemian Rhapsody , musical sobre os Queen que venceu melhor filme, logo depois de Rami Malek vencer o Globo de Ouro de melhor ator dramático, contra tudo e contra todos numa "performance" nada consensual de Freddy Mercury. Esta obra sem realizador presente (Bryan Singer saiu do filme em andamento) foi a grande vencedora da noite, mesmo com todo um historial de críticas negativas, provando-se assim a vocação da Hollywood Foreign Press Association (HFRA) para premiar filmes mais populares e com lobby mais forte. Importa referir que Bohemian Rhapsody é já o recordista de bilheteiras de um filme biográfico e um objeto popular que galvanizou como nunca a figura de Freddy Mercury.

Mas a noite trouxe também uma surpresa: a consagração de Glenn Close, em A Mulher , que venceu na categoria de melhor atriz dramática, quando todos davam como certa a vitória para Lady Gaga. O melhor discurso da noite foi para esta atriz veterana que acabou emocionada a confessar que não esperava nada disto. Um discurso com carga feminista e que fez levantar a plateia de estrelas presente no Beverly Hilton

Nos prémios de comédia e musical, glória para o glorioso Green Book- Um Guia para a Vida, de Peter Farrelly, vencedor de melhor argumento, melhor ator secundário, Mahershala Ali, e melhor filme. Faltou apenas a consagração para Viggo Mortensen, o protagonista, que perdeu para o Dick Cheney de Christian Bale, de Vice, de Adam McKay.

A noite foi também simpática para outros dos filmes da temporada dos prémios: If Beale Street Could Talk, de Barry Jenkins. A atriz Regina King foi considerada a melhor secundária do ano.

Outro dos filmes que abriu champanhe foi A Favorita, de Yorgos Lanthimos, vencedor do Globo de melhor atriz em comédia para a inglesa Olivia Colman, que confessou no discurso o seu amor pelas sandes que comeu nessa tarde.

Menos surpreendente foi a vitória dupla de Roma , de Alfonso Cuáron, vencedor de melhor realização e filme estrangeiro. Esta produção da Netflix não deixa de ser um dos vencedores da noite, aumentando a sua cotação para os Óscares. "Obrigado México", "obrigado México", disse Cuáron duas vezes. O México, esse país que está à beira do muro com os EUA.

Na cerimónia, Sandra Oh e Andy Shamberg, estiveram divertidos sem serem brilhantes. Dir-se-ia que foi um show televisivo competente, descontraído mas sem grandes rasgos. Os cinéfilos sem medo de Hollywood talvez tenham ficado com uma lágrima no canto do olho quando Jeff Bridges, vencedor do Globo de carreira, fez um discurso unificador.

O Método Kominsky, produção da Netflix, foi um dos vencedores dos Globos televisivos. Venceu melhor ator, Michael Douglas, e melhor série de comédia. A Netflix teve uma noite de triunfo. Ainda na televisão, registo para The Americans, a série que venceu na categoria dramática e para Assassination of Gianni Versase: American Crime Story, prémio de melhor ator Darren Gris, e melhor mini série.

A lista dos prémios

Melhor filme drama
Bohemian Rhapsody

Melhor filme comédia:
Green Book- Um Guia para a Vida

Melhor atriz dramática:
Glenn Close- A Mulher

Melhor ator de tv- musical ou comédia
Michael Douglas- O Método Kominsky

Melhor animação
Homem Aranha- No Universo Aranha
Melhor ator Tv - drama
Richard Madden - Bodyguard

Melhor série - drama
The Americans

Melhor ator secundário TV
Ben Whishaw - A Very English Scandal

Melhor atriz mini-série ou tv movie:
Patricia Arquette - Escape at Dannemora

Melhor música:
Justin Hurwitz - First Man

Melhor canção
Shallow - A Star Is Born

Melhor atriz secundária:
Regina King - If Beale Street Could Talk

Melhor atriz tv em drama:
Sandra Oh - Killing Eve

Melhor atriz secundária:
Mahershala Ali - Green Book

Melhor argumento:
Nick Vallelonga, Brian Currie, Peter Farrelly - Green Book

Melhor atriz secundária em série ou tv-movie:
Patricia Clarkson - Sharp Objects

Melhor ator comédia/musical
Christian Bale - Vice

Melhor filme estrangeiro
Roma

Melhor ator em TV Movie ou mini-série:
Darren Criss - The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story

Melhor realização
Alfonso Cuarón - Roma

Melhor atriz tv: comédia/musical
Rachel Brosnahan - The Marvelous Mrs Maisel

Melhor série de televisão comédia
O Método Kominsky

Melhor mini-série ou tv-movie:
The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story

Melhor atriz comédia/musical
Olivia Colman - The Favourite

Melhor filme comédia/musical
Green Book- Um Guia para a Vida

Melhor atriz drama
Glenn Close - A Mulher

Melhor ator drama
Rami Malek - Bohemian Rhapsody

Melhor filme
Bohemian Rhapsody

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG