Premium Roger Stone. Começa julgamento do "trapaceiro" acusado de mentir sobre a campanha de Trump

O aliado de longa data do presidente Donald Trump, com ligações à extrema-direita, vai ter de responder sobre o seu papel na divulgação dos e-mails da campanha de Hillary Clinton, mas também por ter mentido e manipulado testemunhas.

De óculos escuros redondos e amparado pelo braço da mulher, Nydia, Roger Stone entrou quarta-feira para o primeiro dia do julgamento no qual está acusado de obstrução à justiça, manipulação de testemunhas e de mentir na Comissão de Serviços Secretos da Câmara dos Representantes. Um pequeno grupo cantava "Roger Stone não fez nada de mal", mas também ouviu gritar "Vais ver o [Paul] Manafort", uma alusão ao homem que foi diretor da campanha de Donald Trump, a cumprir pena de prisão de sete anos e meio por fraude fiscal, conspiração para defraudar os EUA e manipulação de testemunhas.

O homem que fez imagem de marca a cultura do seu corpo (e de uma tatuagem de Richard Nixon, o político com quem começou uma longa carreira de "agente provocador" e de "trapaceiro", como o próprio admite), juntamente com o seu estilo exuberante, mostrou debilidade em tribunal.

Ler mais

Exclusivos