Premium Football Leaks. Cristiano Ronaldo ouvido na Judiciária

Cristiano Ronaldo foi ouvido na PJ, como testemunha, no âmbito do processo que investiga o hacker Rui Pinto, em prisão preventiva desde março. Nesta sexta-feira, o tribunal negou ao Ministério Público um pedido para alargar por mais seis meses o prazo da investigação complexa.

"O Ronaldo é o meu jogador preferido, penso que é o jogador mais completo da história do futebol. Contudo, o seu comportamento fora do campo tem de ser julgado de modo diferente", declarou Rui Pinto - hacker, para as autoridades judiciais, whistleblower (denunciante) para outros, como a ex-eurodeputada Ana Gomes - numa entrevista, em fevereiro deste ano. Com este desabafo, Rui Pinto acabaria por denunciar as suas intenções quando, de acordo com o que a investigação judicial já apurou, invadiu as caixas de e-mail da estrela mundial de futebol e dos seus advogados, e terá estado na origem das notícias sobre o caso da alegada violação nos EUA e da milionária fuga ao fisco em Espanha.

Como vítima e como testemunha, Cristiano Ronaldo esteve na sede da Polícia Judiciária (PJ) no início de junho a ser ouvido no âmbito da investigação a Rui Pinto, detido desde março sob suspeita de crimes de tentativa de extorsão, acesso ilegítimo, violação de segredo, ofensa à pessoa coletiva - estes relacionados apenas com o Fundo de Investimentos Doyen Sports.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Viriato Soromenho Marques

Na hora dos lobos

Na ação governativa emergem os sinais de arrogância e de expedita interpretação instrumental das leis. Como se ainda vivêssemos no tempo da maioria absoluta de um primeiro-ministro, que o PS apoiou entusiasticamente, e que hoje - acusado do maior e mais danoso escândalo político do último século - tem como único álibi perante a justiça provar que nunca foi capaz de viver sem o esbulho contumaz do pecúlio da família e dos amigos. Seria de esperar que o PS, por mera prudência estratégica, moderasse a sua ação, observando estritamente o normativo legal.