Premium Todas as ligações familiares no governo socialista

As relações familiares dentro do governo ou em organismos de nomeação governamental estão a ter um custo pesado para António Costa. O secretário de Estado do Ambiente e o primo, que era adjunto, já se demitiram. Mas o ministro do Ambiente também tinha autorizado a nomeação da então mulher para assessora da Secretaria de Estado do Ordenamento do Território.

O caso mais recente de relações familiares no governo e que já deu em demissão é o da Armindo Alves, primo do secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins, que o tinha nomeado para adjunto do seu gabinete em setembro de 2016. E do próprio secretário de Estado que se demitiu nesta quinta-feira.

Mas no Ministério do Ambiente os laços familiares eram mais. O ministro Pedro Matos Fernandes terá autorizado a nomeação da então mulher, Isabel Marrana, para chefe de gabinete da secretária de Estado do Ordenamento do Território, Célia Ramos, cargo do qual pediu a demissão em agosto de 2018. Isabel Marrana foi, entretanto, nomeada assessora do conselho diretivo da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), onde começou funções em janeiro de 2019.

Ler mais