Exclusivo O hip-hop solidário dos Oupa!

Sob a batuta de Capicua, este coletivo de artistas portuenses resume no disco Cidade Líquida um trabalho de quatro anos, desenvolvido em bairros sociais da cidade do Porto.

O disco saiu no final do ano passado, mas ainda hoje Ricardo Lima continua a ser abordado na rua por vizinhos e conhecidos da freguesia de Ramalde, uma das mais desfavorecidas do Porto. Mais conhecido por LS, é o autor da maior parte das letras, às quais também dá voz, de Cidade Líquida, o primeiro álbum dos Oupa!, um coletivo composto por jovens artistas de bairros sociais do Porto. Ricardo, 29 anos, atualmente licenciado em Ciência Política e com uma pós-graduação em economia, já fazia rap há mais de uma década, mas nunca antes tivera a oportunidade de fazer ouvir as suas rimas fora do meio onde reside. Até que, em 2016, Capicua assentou arraiais em Ramalde para a segunda edição das residências artísticas iniciadas um ano antes no bairro do Cerco, ao abrigo do programa Cultura em Expansão, da Câmara do Porto.

"Foi uma proposta do então ainda vereador da cultura Paulo Cunha e Silva, que nos desafiou a realizar uma residência de hip-hop no Cerco", recorda ao DN a rapper Capicua, que, durante seis meses, passou a trabalhar num regime quase diário com os jovens desse bairro portuense, muito mais conhecido pelos problemas sociais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG