Premium AC Monza. O mini-AC Milan de Berlusconi que já pensa na subida à Série A do calcio

Clube foi comprado por Silvio Berlusconi em 2018 e ambiciona chegar à Série A do calcio. Ex-presidente rossoneri apostou em Galliani, antigo chefe do futebol milanês, para gerir o futebol, e em Brocchi, um ex-jogador do AC Milan, para treinador. Português Dany Mota faz parte da equipa, que esta época subiu à Série B com a ajuda da pandemia.

O AC Monza é um mini-AC Milan que sonha chegar à série A. O clube da cidade localizada a cerca de 20 quilómetros a nordeste de Milão, mais conhecida por acolher os bólides da F1 do que as estrelas de futebol, ganhou nova vida e ambição quando em 2018 foi comprado por Silvio Berlusconi. O antigo primeiro-ministro italiano (cumpriu três mandatos de 1994 a 2011) que foi dono do Milan e chegou a ganhar cinco Ligas dos Campeões e oito scudettos, entre 1986 e 2017, investiu no pequeno clube da série C do calcio com o objetivo de chegar à Série A e fazer história. Nunca o emblema da Lombardia esteve na primeira divisão italiana desde que foi formado em 1912 (108 anos).

Há quem desconfie das intenções de Berlusconi - comprou o clube 18 meses depois de vender o Milan por 740 milhões de euros ao investidor chinês da Sport Investment Lux -, mas os resultados falam por ele. Apesar de a pandemia ter paralisado os campeonatos secundários em Itália, o Monza foi premiado com a subida à Série B na secretaria pela primeira vez em 19 anos. Para quem já venceu a Champions, subir ao escalão secundário do futebol italiano não foi menos festejado. "Fiz um brinde em casa com a minha filha, já que não podemos ter nenhuma comemoração pública no momento. O mérito é dos jogadores, treinadores e dirigentes, e também um pouco de mim mesmo", contou o humilde ex-presidente rossoneri, numa entrevista ao jornal local Cittadino di Monza.

Ler mais

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG