Exclusivo Katie Sowers. A história da primeira mulher no Super Bowl

Tem 33 anos e faz parte da equipa técnica de 23 treinadores dos San Francisco 49ers, que no domingo jogam a final da NFL com os Chiefs. Sempre sonhou ser treinadora e já foi discriminada pela orientação sexual.

Mulher e gay. Katie Sowers fez história no desporto americano aos 33 anos ao qualificar-se para a final do Super Bowl, que se joga neste domingo (TVI e Eleven Sports, às 23.00). Agora é também a primeira mulher a chegar à final da NFL. Katie faz parte do grupo de 23 treinadores dos San Francisco 49ers, que voltam à final após sete anos para tentar a sexta taça da história da franquia (o último título foi em 1995). Já os Chiefs estão de volta após 50 anos de jejum. A última vez foi em 1970, quando conquistaram o primeiro e único título frente aos Minnesota Vikings.

Na ausência da estrela Tom Brady, os holofotes viraram-se para Katie Sowers, apesar do apetecível duelo entre as estrelas emergentes Jimmy Garoppolo ( 49ers) e Patrick Mahomes (Chiefs). "Ser a primeira mulher no Super Bowl é surreal", confessou Katie Sowers, muito requisitada durante a Opening Night do Super Bowl. A treinadora esteve uma hora a responder a perguntas dos jornalistas e não escondeu a felicidade por chegar ao jogo mais aguardado do desporto americano. Mas em vez de se recostar a aproveitar o momento, preferiu elevar a fasquia. "Por mais que eu seja a primeira, o mais importante é que eu não serei a última", atirou, sem esconder a ambição de um dia ser head coach (treinador principal) na NFL: "Se a oportunidade aparecer e for onde eu realmente possa fazer a diferença, é isso que eu vou fazer."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG