Bruxelas revê em alta inflação em Portugal para 6,8% este ano

A previsão de Bruxelas supera a do Governo, que estima uma taxa de inflação de 4% para este ano.

A Comissão Europeia reviu em alta de 2,4 pontos percentuais (p.p.) a taxa de inflação para Portugal, para 6,8% este ano, ainda que abaixo dos 7,6% previstos para a zona euro, segundo as previsões hoje divulgadas.

De acordo com as previsões macroeconómicas intercalares, hoje divulgadas, o Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) deverá subir em Portugal de 0,9% em 2021 para 6,8% em 2022, antes de cair para 3,6% em 2023.

Em maio, Bruxelas previa que a inflação subisse em Portugal para 4,4% em 2022, caindo para 1,9% em 2023.

A previsão da Comissão Europeia supera a do Governo, que estima uma taxa de inflação de 4% para este ano.

O executivo comunitário assinala que a inflação subiu "substancialmente" para 8,2% no segundo trimestre de 2022, impulsionada por um forte aumento dos preços da energia e dos produtos alimentares.

Os preços dos serviços também aumentaram, refletindo um amplo espectro de fatores, aponta, incluindo a procura reprimida, os efeitos dos preços da energia nos transportes, bem como efeito base para os preços do alojamento e transporte aéreo.

"Tendo em conta os atuais elevados preços da energia, a inflação deverá moderar apenas marginalmente no segundo semestre de 2022. Uma moderação substancial é esperada em 2023", destaca.

Bruxelas sublinha ainda que "pressões de reajuste salarial" no contexto de emprego "recorde" em Portugal deverão levar a inflação 'core' "ligeiramente acima da taxa principal em 2023".

O executivo comunitário também reviu em alta a previsão para a zona euro e para a média da União Europeia, esperando máximos históricos em 2022, em 7,6% na zona euro e 8,3% na União Europeia, antes de diminuir em 2023 para 4% e 4,6%, respetivamente.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG