Uber obriga motoristas, passageiros e estafetas a usarem máscara

Nova ferramenta na aplicação pede fotografias aos condutores e vigilância do lado dos passageiros.

Usar máscara é obrigatório para os motoristas, passageiros e estafetas da Uber. O mercado português vai adotar as novas medidas de segurança anunciadas pela tecnológica, que foram comunicadas esta quinta-feira. A empresa norte-americana está a distribuir cerca de 300 mil máscaras de proteção e um total de 16 mil desinfetantes a nível nacional.

O uso obrigatório da máscara será garantido através de uma nova ferramenta de segurança na aplicação da Uber. "Antes de ficarem online, será solicitado aos motoristas e parceiros de entrega que confirmem a utilização de máscara tirando uma selfie com a máscara", refere a empresa em nota de imprensa.

Antes de aceitarem viagens, os motoristas também "serão convidados a confirmar que tomaram as precauções de segurança adicionais, como assegurar que os passageiros se sentam apenas no banco de trás, higienizar o carro e outras recomendações de higiene". Os passageiros poderão cancelar a viagem "se não se sentirem confortáveis com as medidas tomadas" e vão verificar se os motoristas cumprem ou não as regras.

No caso dos estafetas, além da máscara de proteção obrigatória, terão de garantir a "higienização da mochila de entrega, o respeito de medidas de distanciamento social e das instruções de entrega sem contacto ao entregar um pedido".

"Estamos a trabalhar diariamente no sentido de reforçar as práticas de segurança e fornecer gratuitamente materiais sanitários e de proteção aos motoristas e parceiros de entrega que colaboram com a Uber. Teremos também especial atenção ao feedback de utilizadores e atuaremos em tempo útil de modo a garantir a segurança de todos", refere Manuel Pina, diretor-geral da Uber em Portugal, citado em nota de imprensa.

As rivais da Uber em Portugal, a Kapten e a Bolt, também têm adotado várias medidas de segurança por causa da pandemia do novo coronavírus. As duas plataformas colocaram divisórias entre os lugares da frente e o banco de trás e têm pedido aos motoristas parceiros para reforçar a desinfeção dos veículos, com o fornecimento de produtos próprios para o efeito.

Por causa destas medidas de segurança, a ocupação dos veículos está limitada a dois passageiros ou a três ou quatro utilizadores se foram utilizados veículos de nove lugares.

jornalista do Dinheiro Vivo

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG