Teixeira dos Santos garante que EuroBic executou "ordens legítimas"

Em entrevista à RTP, esta quinta-feira, afirmou que as transferências ordenadas por Isabel dos Santos da conta da Sonangol no EuroBic para o Dubai, em 2017, "foram ordens legitimas, dadas por quem estava legitimado para as dar, em tempo em que as podia dar e por isso foram executadas por este banco"

O responsável pelo banco, detido em 42,5% por Isabel dos Santos, sublinha que o EuroBic "não tem que sofrer com a suspeição que se possa colocar sobre a Engª Isabel dos Santos em torno da gestão da Sonangol. Esse é um problema entre a Sonangol, o estado angolano e Isabel dos Santos, não tem que ser um problema deste banco. Este banco cumpriu e bem as suas obrigações relativamente a um cliente chamado Sonangol".

O caso Luanda Leaks tem referido as transferências feitas pela petrolífera angolana através do EuroBic, em novembro de 2017, para a empresa Matter Solutions Bussiness, no Dubai - de acordo com o Luanda Leaks, foram mais de 57 milhões de dólares. O Banco de Portugal já pediu explicações ao banco e a Teixeira dos Santos.

Teixeira dos Santos adiantou que, na altura, "quando as operações foram analisadas pelo departamento de Compliance", foi verificado que a empresa Matter, para a qual foi feita a ordem de pagamento, "não tinha ligação a Isabel dos Santos

Na entrevista, Teixeira dos Santos considera ainda que a sua reputação não fica afetada por trabalhar num banco detido por Isabel dos Santos. "A engenheira Isabel dos Santos foi elogiada, muito venerada [no passado], e por isso eu creio que estar num banco em que ela é acionista não tem necessariamente de manchar a reputação de quem aqui tem procurado fazer um bom trabalho", defende na RTP.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG