Governo prepara ajustes ao apoio à retoma. OE terá medidas para turismo

António Costa indicou que o governo pretende incluir no OE um programa de apoio à procura que permita aos diferentes novos clientes recuperar parte do IVA pago nos serviços do turismo e restauração em novas compras, no setor do turismo e restauração.

O setor do turismo é um dos principais motores da economia. E com a crise este porta-aviões atravessa uma das fases mais conturbadas. O setor beneficiou, numa primeira fase, de várias medidas que foram introduzidas para vários setores. O governo está já a preparar mais apoios para o turismo.

"O governo está a preparar um quadro legal de medidas de apoio à retoma de forma a ajustar essas medidas de apoio à retoma, o sucedâneo do lay-off simplificado, aquilo que é a realidade da evolução da economia. E em particular à evolução à economia em setores como o do turismo que, claramente, não tiveram a evolução que se esperava que tivessem no momento em que foram desenhadas as medidas o programa de estabilização", indicou o primeiro-ministro, António Costa, na abertura da V Cimeira do Turismo Português.

O Chefe de Governo anunciou ainda que o Executivo está a "a trabalhar para incluir no Orçamento do Estado para 2021 um programa de apoio à procura que permita aos diferentes novos clientes recuperar parte do IVA pago nos serviços do turismo e restauração em novas compras, no setor do turismo e restauração".

Portugal foi considerado por três anos consecutivos com o melhor destino turístico do mundo. E o primeiro-ministro acredita que este estatuto não se vai perder no pós-covid. Contudo, não esconde que é "preciso chegar lá".

"Se olharmos para o turismo em Portugal temos boas razões para estamos confiantes no futuro. O turismo pós-covid vai ser um bom setor de atividade. O problema é como chegamos ao pós-covid", disse. "Temos de lá chegar. A prioridade tem sido preservar ativos, de forma a evitar a destruição de empresas e preservar os recursos humanos que o pais tem investido e que foram vitais para o turismo em Portugal".

Até porque o turismo está muito associado à confiança. E neste momento os turistas estrangeiros - tal como os portugueses para irem para fora - não tem confiança para deixar os seus países e viajarem com no passado, antes do covid. "Houve países que tiveram a ilusão que valia fazer uma guerra para captar o turista que o outro perdeu. Ninguém ganhou. As pessoas não se sentem confortáveis".

Para dar sinais de confiança ao mercado, António Costa assinalou que novos concursos do Revive vão ser lançados. "A par das medidas que têm vindo a ser desenhadas no quadro de recuperação e resiliência e que são acessíveis a todas as empresas, de todos os setores, designadamente ao setor do turismo, há um conjunto de medidas que são relevantes para o setor. São as que dizem respeito ao financiamento de projetos no âmbito transição climática e transição digital; são capitais este setor", indicou.

"Como sinal de confiança vamos abrir já em outubro sete concursos no âmbito do programa Revive Natureza e até ao final do ano abriremos mais 19 concursos no âmbito do Revive Natureza, porque acreditamos no futuro do turismo e que a trajetória de diversificação da oferta é uma aposta certa", rematou.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG