Pela primeira vez em 18 anos, a mulher mais rica de Espanha não é do império da Zara

A filha de Amancio Ortega e de Rosalía Mera tinha "herdado" a posição após a morte da mãe, em 2013, mas este ano Sandra Ortega foi ultrapassada por Sol Daurella, que está à frente da Coca-Cola na Europa.

Este ano, e pela primeira vez desde 2001, a mulher mais rica de Espanha não pertence ao império Inditex, que é proprietário da Zara. A empresária catalã Sol Daurella, diretora-executiva da Coca-Cola European Partners, conquista o lugar que pertencia desde 2013 a Sandra Ortega e, antes dela, à sua mãe Rosalía Mera.

A lista das 200 pessoas mais ricas de Espanha foi divulgada esta quarta-feira pelo El Mundo. O primeiro lugar pertence a Amancio Ortega, o patriarca da família que é dona da Inditex, com um património de 50,4 mil milhões de euros. Segue-se Rafael Del Pino e família, da Ferrovial (7,6 mil milhões de euros), e o pódio fica completo com Juan Roig Alfonso e família, proprietários dos supermercados Mercadona (sete mil milhões de euros).

Em quarto lugar surge a primeira mulher da lista: Sol Daurella Comadrán, junto com a família. A fortuna estimada é de 6300 milhões de euros. Sandra Ortega surge em sexto lugar, com uma fortuna de 5300 milhões de euros.

No caso de Sol Daurella, o aumento da fortuna num ano foi de 15,6%, enquanto Sandra Ortega viu cair a sua 24% no mesmo período de tempo, segundo o El Mundo. Sandra Ortega ocupava o primeiro lugar da lista das mulheres mais ricas de Espanha desde 2013, após a morte da mãe, que tinha ocupado essa posição desde 2001, quando a Zara se estreou na bolsa.

A empresária catalã é diretora-geral da Coca-Cola European Partners, mas também é conselheira do Banco Santander e participa na gestão dos negócios da família: o grupo Cobega. Sol Daurella é a terceira geração de empresários, tendo sido o avô que primeiro obteve a licença de engarrafamento de Coca-Cola em Espanha. Nos últimos anos, a empresa tem vindo a fundir-se com outras empresas de Coca-Cola na Europa.

O grupo Cobega tem ainda marcas como a Nespresso (distribuidora exclusiva não só em Espanha mas também em vários países da Europa), a Domino's (incluindo os negócios em Portugal) ou negócios imobiliários.

Exclusivos

Premium

Vida e Futuro

Formar médicos no privado? Nem a Católica passa no exame

Abertura de um novo curso de Medicina numa instituição superior privada volta a ser chumbada, mantendo o ensino restrito a sete universidades públicas que neste ano abriram 1441 vagas. O país está a formar médicos suficientes ou o número tem de aumentar? Ordem diz que não há falta de médicos, governo sustenta que "há necessidade de formação de um maior número" de profissionais.