OE2022: Banco de Portugal diz que "existe margem suficiente" para cumprir meta do défice

BdP considera que meta do défice de 1,9% do PIB pode ser cumprida na sequência dos bons resultados da receita fiscal.

O Banco de Portugal considera existir margem para cumprir a meta do défice de 1,9% do PIB estimada pelo Governo para este ano, refletindo os bons resultados da receita fiscal, apesar das medidas de mitigação ao impacto da inflação.

No boletim económico de outubro, divulgado esta quinta-feira, o Banco de Portugal (BdP) explica que para se atingir um défice de 1,9% do Produto Interno Bruto (PIB), conforme inscrito no Orçamento do Estado para 2022 (OE2022), era necessária uma deterioração homóloga de três pontos percentuais (pp.) na segunda metade do ano, excluindo medidas temporárias.

O regulador bancário dá nota de que, em conjunto com os gastos associados à pandemia, as medidas de mitigação dos efeitos do aumento dos preços têm um impacto no saldo em 2022 "ligeiramente inferior ao verificado em 2020 e 2021", cerca de 3% do PIB, e estão mais concentradas no segundo semestre.

Desta forma, indica que "no contexto favorável para a evolução da receita fiscal, mesmo considerando o impacto orçamental destas medidas de política estimado em cerca de 3,2% do PIB semestral na segunda metade do ano, existe margem suficiente para o cumprimento do objetivo oficial".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG