Novo Banco quer mais mil milhões de euros

O presidente do Fundo de Resolução revelou que o Novo Banco vai pedir mais 1.037 milhões de euros relativos a 2019 para se recapitalizar. Cerca de 850 milhões terão de ser emprestados por fundos públicos

Em audição na Comissão de Orçamento e Finanças, a pedido do Bloco de Esquerda, o presidente do Fundo de Resolução, Máximo dos Santos reconheceu que se trata de "um valor elevado evidentemente" notando que apesar de estar "abaixo de ano passado" este "já de si foi muito alto".

De acordo com este responsável o valor em causa, é a última estimativa, deverá ser pedido formalmente pelo Novo Banco ao Fundo de Resolução e ainda terá de ser validado antes de ser dada ordem de pagamento.

Já para o Fundo de Resolução bancário o pagar, indicou Máximo dos Santos que o Fundo tem 255 milhões de euros de receitas próprias decorrentes de contribuições dos bancos, pelo que para o valor restante irá pedir em empréstimo ao Tesouro público, no limite previsto no Orçamento do Estado, de 850 milhões de euros.

Em 2017, no âmbito da venda de 75% do Novo Banco ao fundo norte-americano Lone Star (o Fundo de Resolução tem os restantes 25%), o Estado fez um acordo que prevê a recapitalização do banco pelo Fundo de Resolução (entidade da esfera do Estado) para cobrir falhas no capital geradas pelos ativos tóxicos com que o Novo Banco ficou do BES (crédito malparado e imóveis).

No total, segundo esse acordo, o Fundo de Resolução bancário pode injetar até 3,89 mil milhões de euros no Novo Banco até 2026. Em 2017 e 2018, o Novo Banco já recebeu 1.941 milhões de euros.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG