McDonald's estuda venda do seu negócio na China

O grupo tem mais de 2 200 estabelecimentos no país

A cadeia de restaurantes norte-americana McDonald's está a estudar a venda das suas operações na China ao conglomerado financeiro estatal CITIC ou ao fundo de investimento dos Estados Unidos Carlyle, informou hoje a imprensa estatal.

Os mais de 2 200 estabelecimentos que a McDonald's tem na China têm um valor estimado de 2.000 milhões de dólares (1.900 milhões de euros), segundo o jornal China Daily, que não detalha o montante das ofertas apresentadas pelas empresas.

A multinacional norte-americana não confirmou se está a considerar ofertas da CITIC e da Carlyle.

Outras empresas chinesas, como a Beijing Tourism ou o Sanpower, mostraram também interesse em investir nas operações do McDonald's no país.

Para o analista do Instituto de Investigação de Marcas chinês Zhu Danpeng, o negócio seria "positivo" para a multinacional.

"A aquisição ajudaria muito à expansão do McDonald's em cidades de terceira e quarta linha na China e impulsionaria a sua estratégia de localização", afirmou, citado pelo China Daily.

Desde que abriu o seu primeiro restaurante na China, em 1990, o 'Maidanglao' (McDonald's, em chinês), tornou-se uma das cadeias de comida ocidental melhor implementadas no país, onde tem planos para abrir 1.300 novos estabelecimentos, nos próximos cinco anos.

A venda seguiria a tendência de outras grandes multinacionais, como a Coca-Cola, que está a vender as suas operações em muitos países, tentando focar-se antes em questões de marketing e na imagem global da marca.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG